Como identificar infecções em paciente oncológico

A princípio, o tratamento e o próprio diagnóstico de câncer são processos que debilitam muito o sistema imunológico do paciente, tornando-o mais vulnerável a infecções de diferentes tipos. Por isso, reconhecer os sinais de infecção em paciente oncológico precocemente é determinante para garantir um tratamento eficaz e prevenir complicações graves.

Sinais de infecções em pacientes oncológicos:

1. Febre

A febre é um dos sinais mais comuns de infecção. Em pacientes oncológicos, qualquer elevação da temperatura acima de 37,8°C deve ser monitorada com atenção, pois pode indicar a presença de uma infecção, mesmo que outros sintomas não estejam presentes. Quanto mais alta a temperatura, maior a preocupação, pois pode ser um processo mais grave.

2. Calafrios e Suores

Calafrios e suores noturnos, especialmente se acompanhados de febre, são sinais que não devem ser ignorados. Portanto, eles podem indicar uma resposta do corpo a uma infecção.

3. Mudanças na Pele

Preste atenção a qualquer alteração na pele, como vermelhidão, inchaço, calor ao toque ou a presença de feridas ou erupções. Esses sinais podem indicar uma infecção localizada, especialmente em áreas onde o paciente pode ter recebido tratamento intravenoso ou passado por cirurgias.

4. Tosse Persistente ou Dificuldade para Respirar

Uma tosse persistente, falta de ar ou dificuldade para respirar podem ser sinais de infecção pulmonar ou mesmo de inflamações graves associadas ao tratamento. Assim, essas infecções podem rapidamente se tornar graves em pacientes com sistema imunológico comprometido.

5. Mudanças no Apetite ou na Digestão

Náusea, vômitos, diarreia ou dor abdominal podem ser sintomas de infecção gastrointestinal. Todavia, a perda de apetite sem explicação aparente também pode ser um sinal de que algo está errado.

6. Dor ou Sensibilidade

Dor em uma área específica do corpo, como ao urinar, pode indicar uma infecção urinária. Sensibilidade ao redor de um cateter ou dispositivo médico também é um sinal de alerta.

7. Sintomas Urinários

Dificuldade para urinar, dor ao urinar, urina turva ou com odor forte, e a presença de sangue na urina podem ser sinais de infecção do trato urinário.

8. Alterações Neurológicas

Confusão, sonolência excessiva, dores de cabeça severas ou rigidez no pescoço podem indicar uma infecção que está afetando o sistema nervoso central, como meningite ou mesmo sinal de uma infecção grave associada a comprometimento do estado neurológico.

9. Fadiga Excessiva

Embora a fadiga seja um sintoma comum em pacientes com câncer, uma fadiga que é repentina ou excessivamente debilitante pode ser um sinal de infecção.

10. Mudanças no Bem-Estar

Nesse sentido, qualquer mudança repentina no bem-estar geral do paciente, como sensação de mal-estar, fraqueza extrema ou sensação de desmaio, deve ser levada a sério e comunicada ao médico imediatamente.

Saiba mais: Tabagismo: muito além do pulmão

Entretanto, se você observar algum desses sinais de infecção em um paciente oncológico, é fundamental agir rapidamente. Por isso, seguem alguns conselhos do GBOT:

  • Informe ao médico sobre os sintomas observados. Detalhes como a duração dos sintomas, temperatura exata da febre e qualquer outro sinal presente são importantes.
  • Infecções em pacientes com câncer podem progredir rapidamente. Não espere para ver se os sintomas melhoram por conta própria.
  • A hidratação é essencial, especialmente se houver febre, vômitos ou diarreia.
  • Continue a monitorar a temperatura e outros sinais vitais, como frequência cardíaca e pressão arterial, até que o paciente receba atendimento médico.

Prevenção de Infecções

Prevenir infecções é uma parte importante do cuidado com pacientes oncológicos. Algumas medidas incluem:

1. Lavar as mãos frequentemente com água e sabão;
2. Manter as vacinas em dia, conforme recomendação médica.
3. Preservar a limpeza e o cuidado adequado com cateteres, sondas e outros dispositivos médicos.
4. Evitar alimentos crus ou malcozidos que podem conter bactérias nocivas ao organismo.

Em síntese, a identificação precoce dos sinais de infecção em pacientes oncológicos auxilia no tratamento e minimizam o risco de complicações graves. Familiares e cuidadores devem estar atentos a qualquer mudança no estado de saúde do paciente e agir rapidamente para buscar ajuda médica. Logo, com vigilância constante e cuidados adequados, é possível proteger a saúde e o bem-estar dessas pessoas que lidam com a doença durante o tratamento.

Leia também: Programas de assistência para pacientes com câncer de pulmão