Home » Artigo não-científico » 3 Males causados pelo fumo que você talvez desconheça

3 Males causados pelo fumo que você talvez desconheça

Por mais que existam campanhas contra o consumo do tabaco, ainda falta muito a dizer para educar e conscientizar a população.

Segundo um levantamento divulgado no site do Inca (Instituto Nacional do Câncer) em 2017, 82% dos indivíduos fumantes ouviram dos especialistas recomendações para largar o cigarro, entretanto, entre eles, apenas 40% receberam orientações práticas de como proceder para atingir esse objetivo.

Muitas pessoas estão cientes de que fumar é um dos hábitos mais prejudiciais que poderiam fazer para a sua saúde e bem-estar geral. Sabem sobre o câncer de pulmão, doenças respiratórias, vasculares, etc. Ainda assim, existem outros perigos em ser tabagista, e aqui veremos alguns deles que são menos conhecidos. Confira:

1. Doenças no trato digestivo

O fumo afeta, e muito, os órgãos deste sistema. Conheça as doenças que podem ser desenvolvidas ou potencializadas em fumantes:

– Úlceras Pépticas
São feridas no estômago ou duodeno – em casos raros, podem afetar o esôfago. O tabagismo diminui o fluxo sanguíneo até o trato digestivo, e a produção de muco no estômago, aumentando, assim, as possibilidades de desenvolvimento da úlcera péptica, em casos de indivíduo com a H. Pylori. O cigarro deve ser cortado imediatamente para que o tratamento seja realizado com sucesso.

– Doença de Crohn
A ligação é simples: a doença de Crohn é marcada pela inflamação do trato digestivo e a nicotina é conhecida por promover essa afecção. Pesquisas comparando fumantes e não-fumantes que sofrem da doença de Crohn mostraram que aqueles que largaram o cigarro passam a experimentar menos sintomas da patologia, como dor abdominal e diarreia. Enquanto isso, os pacientes fumantes são mais propensos a precisar de medicação.

– Pólipos do Cólon
Essa afecção é caracterizada por pequenos tumores, geralmente benignos – alguns deles podem tornar-se cancerosos ao longo do tempo. Os pólipos crescem no interior da superfície do cólon ou do reto. O tabagismo é um dos fatores de risco no processo de desenvolvimento dos pólipos.

– Refluxo Gastroesofágico
Acredita-se que a nicotina relaxa o anel muscular do esôfago inferior, que por sua vez possuem a função de manter o ácido no estômago, onde ele pertence. Quando esse anel relaxa, o ácido pode escorrer e causar a conhecida sensação de queimação. Fumar também pode fazer com que sua boca produza menos saliva, o que pode significar mais sintomas de azia.

2. Doenças oculares

Por mais estranho que possa parecer, o tabagismo pode atingir nossos olhos, contribuindo para o aparecimento e o agravamento de doenças sérias no órgão.

– Catarata
As toxinas presentes na fumaça do cigarro podem alterar a circulação e diminuir a oxigenação, provocando alterações no cristalino do olho, acarretando, assim, o desenvolvimento de catarata, podendo até levar a uma cegueira.

– Degeneração Macular
Muitos estudos determinaram que o tabagismo aumenta significativamente o risco de desenvolver a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) pelo menos duas vezes mais do que em não-fumantes, pois a fumaça do cigarro interfere nas células da retina, prejudicando o seu funcionamento. Além disso, pessoas com certas alterações na sequência de DNA em seus genes do complemento são particularmente suscetíveis à DMRI induzida pela fumaça do cigarro.

– Glaucoma
O fumo contribui para a obstrução dos vasos sanguíneos de um modo geral, e isso propicia o aumento da pressão intraocular. O consumo de tabaco pode, também enrijecer as paredes das veias, o que interfere diretamente na circulação do sangue no indivíduo.

É fundamental alertar que, ao entrar em contato com a fumaça do cigarro, a pessoa pode instantaneamente, entrar em um processo alérgico-ocular. A maioria das doenças ópticas provenientes do tabaco pode levar à cegueira em casos extremos.

3. Artrite Reumatoide

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença autoimune na qual o sistema imunológico – que normalmente protege sua saúde atacando substâncias estranhas como bactérias e vírus – investe, equivocadamente, contra as próprias articulações, criando inflamação.

Se não houver controle desse problema, é possível que as articulações sejam danificadas, assim como o tecido e os próprios ossos – causando a diminuição do espaçamento entre eles, devido à perda de cartilagem. As articulações podem ficar soltas, instáveis, dolorosas e perder sua mobilidade, assim como deformadas, e com danos irreversíveis.

A artrite reumatoide afeta mais comumente as articulações das mãos, pés, pulsos, cotovelos, joelhos e tornozelos. O efeito conjunto é geralmente simétrico. Isso significa que se um joelho ou uma mão for afetada, geralmente o outro (a) também será.

Como mostrado, o tabagismo traz muitas doenças além das já conhecidas popularmente. Não existe uma forma de evitar nenhuma delas sem abandonar, definitivamente, a nicotina.