Home » Artigo não-científico » Cuide dos seus pulmões no outono

Cuide dos seus pulmões no outono

À medida que os dias úmidos do verão dão lugar ao ar seco do outono, muitas condições, como asma, tosse crônica e suscetibilidade a bronquite ou sinusite, começam a incomodar.

Um dos motivos para isso acontecer, é que, com a chegada do frio, a necessidade de se abrigar em locais fechados também aparece. Deste modo, várias doenças se proliferam mais facilmente.

Somada a essa estação, a poluição, os produtos químicos e a fumaça são alguns dos agravantes, e não existe como fugir disso, embora seja possível evitar certos lugares e situações.

Algumas das disfunções mais comuns do Outono

Gripe: geralmente é acompanhada de febre alta, dores no corpo e na cabeça, tosse seca no peito, cansaço. Para melhorar rapidamente, descanse, mantenha-se aquecido, beba muita água e procure um médico;

– Bronquite: o tipo mais comum é definido como uma inflamação, que pode ser causada por vírus, bactérias e outras partículas que irritam os tubos bronquiais. Essa manifestação da doença tem curta duração, e geralmente é consequência de uma infecção por vírus ou resfriado.

Já a bronquite crônica é uma versão de longa duração e pode ser o resultado de fatores ambientais, tabagismo ou doenças prolongadas;

Sinusite: Essa disfunção pode ter causa bacteriana, viral ou consequência de alergias. Além disso, pode ser classificada em diversos níveis de intensidade, podendo causar fortes dores de cabeça, tendo início no seio nasal, entre a testa e as maçãs do rosto.

Pneumonia: inflamação dos pulmões, caracterizada pelos seguintes sintomas: febre, calafrios, tosse, dor no peito e dificuldade para respirar. É frequentemente causada por uma infecção viral ou bacteriana.

Quem deve ser particularmente cuidadoso durante o outono?

– Pessoas com condições crônicas de saúde;
– Idosos com mais de 65 anos;
– Crianças muito pequenas;
– Mulheres grávidas;
– Qualquer pessoa que tenha um sistema imunológico baixo.
É preciso que esse grupo de risco esteja ciente das formas de prevenção e de como proceder para receber tratamento.

Evitando as doenças do outono

– Mãos higienizadas: o vírus da gripe é implacável, e pode atacar qualquer um ao redor. Não é suficiente tomar as vacinas e evitar contato próximo com pessoas visivelmente doentes – o vírus vive em objetos cotidianos comuns, que tocamos com frequência, como: maçaneta, celular, corrimão, cafeteira, etc.

Felizmente, algo tão simples como água e sabão pode ser a arma secreta contra as enfermidades do outono. Durante a temporada de gripes e resfriados, devemos lavar as mãos com mais frequência e com mais atenção.

– Alimentação equilibrada: essa estação pede por um organismo forte, preparado para resistir às mudanças de temperatura e todas as suas consequências;

Uma dieta saudável, que inclua fibras e vegetais, e o equilíbrio necessário entre as porções de carboidratos, proteínas e gorduras, podem fortalecer o seu sistema imunológico para a frieza e secura do outono.

Mantenha-se hidratado. A água nunca foi uma aliada tão especial e eficaz como durante o outono.

Evite:

– Laticínios;
– Bebidas cafeinadas;
– Alimentos picantes ou ácidos;
– Adoçantes artificiais;
– Álcool.
– Locais fechados: durante o outono, é comum que locais fechados abriguem aglomerações de pessoas que estão na rua com frio ou fugindo da chuva. Basta uma tosse ou espirro para que o vírus seja transmitido, e, a partir daí, sabemos o que acontecerá.

Dicas:

– Mantenha as janelas da casa abertas, e deixe o ar circular durante o dia e a noite;
– Limpe as cortinas, tapetes e edredons todos os dias;
– Observe o local onde mora em busca de mofo e pontos de fungos.
– Vacinação: a imunização contra as doenças virais e bacterianas – vale lembrar que vale para qualquer época do ano – é essencial, pode salvar vidas e poupar muito sofrimento.

Essas orientações são válidas para todas as idades, muito embora o público-alvo mais indispensável seja de bebês e crianças, idosos e grávidas.

A vacinação também protege a comunidade onde vive aquele que foi imunizado, pois impede que os vírus se alastrem e dê início a uma epidemia mais difícil de ser tratada coletivamente.

Cuidando dos seus pulmões

– Limpe seus armários e faça uma doação para quem precisa dos itens não utilizados: as suas alergias irão se acalmar e muitas pessoas necessitadas agradecerão;

– Pratique a respiração diafragmática em vez daquela rasa no peito, para, com isso, adquirir mais controle do seu fôlego;

– Caminhe em lugares abertos, de preferência com plantas;

– Alongue a parte superior do seu corpo, a fim de expandir sua caixa torácica e dar espaço para os pulmões respirem;

– Não largue ou adie os exercícios físicos: mais do que nunca eles são de extrema importância para a disposição e fortalecimento da sua imunidade;

– Fique longe de ambientes com fumaça de cigarro. Se você tabagista, talvez este seja o momento providencial para largar o cigarro.

A saúde dos nossos pulmões depende de diversos fatores, e por este motivo, é importante prestarmos atenção ao modo como tratamos esse órgão. Observar o funcionamento do nosso corpo é o primeiro passo para uma melhora geral na saúde.

Dica: a tosse é um importante indicador do desequilíbrio pulmonar, mas há muitos outros sintomas que uma pessoa pode sentir ao lidar com problemas neste órgão. Superprodução de saliva; voz fraca; desejo constante de deitar; dores de cabeça; pernas inquietas; rosto inchado; impurezas na pele, etc. Estes podem ser o resultado de um problema residindo nos pulmões.