Home » Artigo não-científico » ONU divulga diretrizes para combater obesidade e sobrepeso em crianças

ONU divulga diretrizes para combater obesidade e sobrepeso em crianças

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou recentemente novas diretrizes para combater o que a agência considera uma epidemia global: obesidade e sobrepeso em crianças.

Segundo estimativas, em 2016 a questão afetava cerca de 41 milhões de crianças menores de cinco anos de idade.
As orientações da OMS incluem detalhes sobre como profissionais de saúde podem melhor identificar jovens que precisam de ajuda. O documento menciona aconselhamento e dieta, e uma avaliação de hábitos alimentares, juntamente com cálculos mais frequentes de peso e altura.

Segundo a agência, o problema atinge países desenvolvidos e em desenvolvimento, como o Brasil.

O relatório intitulado “Estado da Segurança Alimentar no Mundo 2017″ mostra um outro dado alarmante, particularmente nos países latino-americanos e no Brasil, que é o aumento da obesidade em crianças. No Brasil esse índice já chega a 9%. A agência da ONU lembra que associadas à obesidade entram as enfermidades.

Novos hábitos

A OMS afirma que a prevalência da obesidade em crianças reflete uma mudança de padrões na direção de dietas pouco saudáveis e sedentarismo.

Urbanização, aumento de renda, disponibilidade das chamadas fast foods, demandas educacionais, tempo passado assistindo à televisão e a jogos levaram a um aumento no consumo de alimentos ricos em gorduras, açúcar e sal e a uma redução na atividade física.

Adote uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras. Prepare um lanche saudável para as crianças levarem para a escola.

Listamos 6 dicas para evitar a obesidade e o sobrepeso em crianças:

1) Dê às crianças suco natural, água ou chá no lugar dos refrigerantes e faça sanduíches com pães integrais;
2) Respeite os horários das refeições e proíba que elas fiquem ‘beliscando’;
3) Evite que as crianças comam alimentos industrializados como salgadinhos, refrigerantes e doces;
4) Programe atividades físicas diárias para toda a família;
5) Use uma linguagem positiva e incentivadora;
6) Não permita que a criança coma se estiver nervosa, para que não associe a comida ao sentimento de raiva ou decepção.

Conheça o estudo da OMS (em inglês): http://www.who.int/nutrition/publications/guidelines/children-primaryhealthcare-obesity-dbm/en/