Home » Destaques » Consolidation Chemotherapy Following Concurrent Chemoradiation for Stage III Non-Small Cell Lung Cancer: A Brazilian Multicentric Cohort.*

Consolidation Chemotherapy Following Concurrent Chemoradiation for Stage III Non-Small Cell Lung Cancer: A Brazilian Multicentric Cohort.*

Vladmir Cláudio Cordeiro de LimaV.C. Cordeiro De Lima, C.S. Baldotto, C. Barrios, E.M. Sobrinho, M. Zukin, C. Mathias, F. Zaffaroni, R.C. Nery, G. Madeira, A.V. Amadio, G. Geib, J.S. Coelho, M.F.E. Simões, G. De Castro Jr, on behalf of GBOT (Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica) e LACOG (Latin American Cooperative Oncology Group).

CPCNP localmente avançado (estádio III) correponde a 15-25% dos casos diagnosticados. Embora alguns destes pacientes sejam candidatos à cirurgia, a maioria será tratada com quimiorradioterapia concomitante (QtRC), seguida ou não de quimioterapia de concolidação (QtC), entretanto a adição desta última ainda é motivo de discussão. Nós decidimos avaliar o impacto da QtC em pacientes brasileiros portadores de CPCNP, estádio III, tratados na prática clínica diária, em 5 centros de tramento de câncer.

Foram coletados retrospectivamente os dados de pacientes portadores de CPCNP, estádio III, tratados com QtRC, seguida ou não de QtC, no A. C. Camargo Cancer Center (ACCCC), Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e Instituto Nacional do Câncer (INCA), entre Janeiro de 2007 e Dezembro de 2011.

Os pacientes elegíveis tinham idade ≥18 anos and deveriam ter recebido cisplatina ou carboplatina associadas a etoposídeo, paclitaxel ou vinorelbina, concomitante à irradiação torácica. Pacientes tratados com cirurgia ou quimioterapia neoadjuvante foram excluídos. O desfecho primário foi sobrevida global (SG) a partir da data do diagnóstico.

Foram revisados os prontuários de 592 pacientes portadores de CPCNP, estádio IIIA e IIIB não ressecável, das 5 instituições envolvidas e identificados165 pacientes elegíveis. A idade mediana foi de 60 anos (27-79 anos) e a maioria era do sexo masculino (69,1%), caucasiana (77,9%), tabagista (93,3%) e estádio IIIB (52,7%). Adenocarcinoma foi a histologia mais comum (47,9%). Perda de peso >5% e ECOG-PS 2 foi observado em 39,1% e 14,6% dos casos, respectivamente.

O seguimento mediano foi de 25 meses. QtC foi administrada a 27 pacientes. A única variável associada com uso de QtC foi estádio T (Χ²(4) = 11,410, p=0,022), como um número maior de pacientes com estádio T3 recebendo QtC. Não foi observada diferença em SG ao se comparar os pacientes que receberam ou não QtC (p=0,211). A SG mediana foi de 24 vs. 25 meses para os grupos que receberam ou não QtC, respectivamente (HR 1.408, 95%IC 0,814-2,434). A dose total recebida de irradiação (≥ 61Gy) foi a única variável independentemente associada com aumento de SG (HR 0,617, 95%IC 0419-0,909, p=0,012).

Em conclusão, recapitulando os resultados de estudos randomizados previamente publicados, nós não observamos benefícioda adição de QtC após QtRc no tratamento de CPCNP localmente avançado e irressecável. Contudo, especial atenção deve ser dada a dose de radioterapia aplicada, uma vez que doses <61Gy estiveram associadas com pior SG.

Vladmir Cláudio Cordeiro de Lima, MD, PhD
Oncologista Clínico – Departamento de Oncologia Clínica
Orientador Permanente da Pós-Graduação e pesquisador
A. C. Camargo Cancer Center – São Paulo – Brasil

* A retrosPective Analysis of non-small-cell lung canceR Stage III treated with concurrent cheMOradiation followed or Not by consolidation chemotherapY.